sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

ELEIÇÕES ESPANHOLAS




Um comício eleitoral, consiste em intentar convencer de algo, um grupo de pessoas, que já estão convencidas disso de antemão !


ESQUEÇAMOS AS PROMESSAS ! ! !

Necessitamos ter uma memória excelente, digo mais, de elefante, para nos esquecermos de todas as promessas que nos fizeram os líderes políticos.

Umas consistem em melhorar o futuro imperfeito e outras em rectificar o passado irreparável, mas as que tiveram mais êxito público, não foram certamente as económicas.

Isso de oferecerem a quase todos, uma moderada quantidade de euros, que nunca vêm por mal, mas se visíveis, é algo que não falha mais que o seu incumprimento.

Eu, que já vivi diversas épocas, pensava que todo o mundo está disposto a acudir quando o chamam ao engano, mas afinal não.

Segundo uma sondagem "Flash", do Metroscopia, a ladainha de promessas eleitorais encontrou-se com a maior indiferença.

Se não com a maioria, com uma indiferença bastante crescida.

É confortador que o sofrido povo espanhol tenha alcançado a maturação democrática ao fim de poucos anos.

Já se sabe que o que se diz durante os períodos eleitorais deve entrar por um ouvido e sair por outro.

A quem ficou com algo dentro do ouvido, tem macaquinhos no sótão, ainda que posteriormente os use para recordar a quem lhes mentiu.

Há cada vez menos pessoas que acreditam nos caldos concentrados e nesses contos-do-vigário que se vendem acompanhados de tesourinhas, para que os carecas possam cortar o cabelo, no caso de que ele lhes impeça a visão.

O bom é que não somos rancorosos.

O povo perdoa aos embusteiros e compreende que para tentar ganhar as eleições lhes digam que vamos ganhar a vida em melhores condições.

Normalmente a participação prevista nas urnas ronda os 70 %.

Que resultado alcançariam se não se tivesse gasto tanto dinheiro em comícios e em tanta saliva nas declarações?

Talvez o número se mantenha invariável.

A verdadeira fé não se define por acreditar no que se vê, mas sim em acreditar no que não se verá nunca.


1 comentário:

lfm disse...

Partidos são empresas que se propõe oferecer-nos um conjunto de serviços.

Se não cumprem o que prometeram ou prestam um mau serviço mudo de empresa de serviços.

Terei o cuidado de não voltar aos serviços de quem jnão cumpriu e apresenta uma gestão incompetente.

Luís Maia