terça-feira, 17 de março de 2009

- E a minha voz nascerá de novo,
talvez noutro tempo sem dores,
e nas alturas arderá de novo o meu coração
ardente e estrelado.

(Pablo Neruda, pseudónimo de Neftalí Ricardo Reyes Basoalto, ( 1904-1973). Poeta chileno, considerado um dos mais importantes eruditos do século XX. O seu pseudónimo foi escolhido para homenagear o poeta checo, Jan Neruda. A sua obra é lírica, plena de emoção e marcada por um acentuado humanismo. No seu livro de estreia, com apenas 20 anos, Crepusculário (1923), já assinou Pablo Neruda que, em 1946, passou a usar legalmente.)

4 comentários:

Avassaladora disse...

Aigo querido!
Que doces palavras!

E fico aqui a cismar com esse coração ardente e estrelado...rs
Que bom seria!

Amo Neruda!


beijos e carinhos!

Osvaldo disse...

Olá amigo JTorres;

Que esse coração continue a bater e, sem dores, a nos mostrar as estrelas da amizade.

Que não seja só um dia no tempo, mas no tempo actual.

Um grande abraço, caro amigo.
Osvaldo

Susana Simões disse...

Adorei esta citação... Repleta de sentido!

Até breve.

AJO disse...

Sim foi uma aposiopese. É que às vezes não se consegue falar, nem escrever. Às vezes as ... dizem mais.
BJS e bom fim de semana