quarta-feira, 17 de setembro de 2008

CONVERSAS MORTAS !

.
Antes de descolar até ás extensas regiões da morte, já havia uma intensa desconfiança entre os passageiros.

As demoras não lhes deixavam boas indicações e esses pequenos aparelhos que chegaram a fazer parte do nosso ouvido externo estavam a pleno rendimento.

As mensagens vão durar mais do que aqueles que as emitiram.

Em muitas casas ficaram gravadas as últimas conversações.

Por que soa diferente a voz de um morto?

É a mesma, absolutamente a mesma que emitia quando estava vivo, mas há algo que mudou: já não pode dizer nada.

A morte cortou-lhe a palavra da boca, o que é sempre um falta de educação.

Agora as vítimas exigem informação.

Não pedem psicólogos com o seu manual de tópicos de instruções.

Nem querem políticos, com o seu habitual reportório de promessas de rápido cumprimento.

O que querem saber é porque se passou o que se passou.

Mais nada, ainda que seja de todo irremediável, mas se se podia evitar o que se passou.



O mecânico declarou que a primeira avaria não causou o acidente, mas para as famílias dos que faleceram é igual que os motivos da catástrofe foram outros.


O MD-82 espatifou-se oito dias antes de renovar a permissão de navegação e a questionada Companhia Spanair, tinha passado em 22 revisões na EU.


Tão-pouco este dado garante muitas coisas.


Há tribunais benévolos.


Quem ficou bruscamente sem as pessoas que mais queriam, querem conhecer a verdade.


É certo que o saber não ocupa lugar, mas ocupa tempo e alguma vez se fará luz na obscuridade.


Chamar-lhe-emos incompetência ou negligência, que são palavras com que podemos nomear a fatalidade.


Dos que morreram só ficaram as suas últimas conversações.


Quando ainda não sabiam que eram as últimas.




.

2 comentários:

Laura disse...

Olá xistosa! Apresentem as razões que quizerem, o mal já foi feito... eles já nem fazem parte deste mundo...e os familiares! nada há a fazer, nem justiça, arranjarão qualquer coisa extra para dizer que a culpa não foi de ninguém... Hoje em dia é um acto de coragem voar!... e o meu nino que o vai fazer tantas vezes, quase todos os meses...bolas... Beijinhos.

xistosa - (josé torres) disse...

Laura

Pelas estatísticas, o avião até é um transporte seguro.
Eu não voo.
Só a muito custo, não de dinheiro, mas de materializar qualquer sonho.
Gostava de conhecer os Açores, e de visitar o m/filho em Manchester ...
Talvez depois de cremado ...

A morte é o fim, e não tenho medo dela ...tenho medo de ficar impossibilitado de viver ...