quarta-feira, 9 de julho de 2008

UM CRIME NO MUSEU



Local vazio de onde foi retirada a estátua para restauro


Hitler voltou a perder a cabeça.

Um visitante do Museu Madame Tussaud, decapitou a sua estátua de cera, recém-instalada, tomando pela sua mão a justiça histórica.

A inclusão do artífice do Holocausto nesta galeria de fantasmas célebres já tinha provocado muitas críticas.

Pode-se aceder à fama por distintos caminhos, mas quando se chega a ela, é o mesmo ser-se o Fleming ou Jack "O Estripador": o caso é que todo o mundo tenha ouvido falar da personagem em questão.

Sempre se considerou a guilhotina muito superior à aspirina para suavizar as dores de cabeça.

O verdugo da efígie de Hitler era o segundo visitante do museu, um tipo de 40 anos que logrou iludir os vigilantes.

O homem acreditava que perpetuar a imagem do autor do Mein Kamf e de uns sessenta a setenta milhões de mortos, constituía uma forma de homenagem, mas matar um morto tem escassa utilidade, sobretudo se o defunto é de cera.

Mais a mais, Hitler, já tinha perdido a própria cabeça muitos anos antes, talvez desde que leu Nietzsche e levou a sério aquele livro do conde Gabineau, (*). chamado, "A Desigualdade das Raças".

O seu psiquiatra, que supostamente não se atrevia a chamar-se por esse nome, conta que quando era Füher, perdia dois quilos e pico, ao falar para o público e "alcançava uma satisfação sexual completa".

Um louco faz centos, mas pode fazer milhões.

Entre ele, pessoas do calibre de Heidegger, (**).

Agora, passados mais de sessenta anos que a II Guerra Mundial terminou, o líder nazi converteu-se numa atracção de feira.

A sua estátua estava protegida com grossos cordões de protecção e havia letreiros que proibiam tirar fotografias junto dela, para presumir, não se sabe o quê.

Talvez por ter estado no Museu de Madame Tussaud, (***).


(*)
Conde de Gabineau, considerado o "pai do racismo científico", que afirmava o seguinte: "A raça branca possuía originalmente o monopólio da beleza, da inteligência e do vigor.
Por sua união com outras variedades criaram seres híbridos, débeis, fortes, mas sem inteligência e sobretudo feios."


(**)
Martim Heidegger, filósofo alemão.
Embora a filosofia de Heidegger não fosse o nazismo, há ligações visíveis entre esta filosofia e o movimento geral da ideias e dos acontecimentos que geraram o nazismo.
Porém, após a destruição do Estado Hitleriano, o pensamento de Heidegger conheceu um sucesso prodigioso, mesmo em países que nós poderíamos considerar pouco inclinados a acolhê-lo em virtude das suas origens.


(***)
Museu Madame Tussauds é um famoso museu de figuras de cera.
Possui a maior coleção de figuras de celebridades.
A sede principal do museu está em Londres, mas também existem 7 filiais em, Paris, Nova York, Hong Kong, Las Vegas, Amsterdam, Hollywood e Berlim (aberto em 4 de Julho de 2008).
Marie Tussaud (1761-1850), nascida Marie Grosholtz em Estrasburgo, França, trabalhou como governanta para o Doutor Philippe Curtius, um médico com talento para a modelação da cera, que ensinou essa arte a Tussaud.



2 comentários:

Vieira Calado disse...

"Sempre se considerou a guilhotina muito superior à aspirina para suavizar as dores de cabeça."
Bem observado!
Você não desarma!
Um abração

xistosa - (josé torres) disse...

Vieira Calado

E não é que não há melhor remédio mesmo!