quarta-feira, 2 de julho de 2008

- Quando procuro o que há de fundamental em mim, é o gosto da felicidade que eu encontro ! (Albert Camus, 1913-1960, escritor francês, nascido na Argélia. Camus é, com Sartre, o escritor mais representativo do existencialismo francês).

12 comentários:

Paula Raposo disse...

Um gosto que todos dever�amos encontrar...

Angela Ladeiro disse...

O que eu aprendo consigo, José. Nas letras ando sempre distraída. bem preciso de aprender...Concordo com a Paula.

mundo azul disse...

Penso, que todos os seres pensantes querem a mesma coisa: Ser feliz!
Beijos de luz...

JOICE WORM disse...

E que gosto deve ter a felicidade... J� a senti, v�rias vezes. E penso que parece muito com o gosto de um beijo apaixonado.

xistosa - (josé torres) disse...

Paula raposo

Mas temos que procurá-lo.
Esse gosto é mesmo a felicidade, sem gosto, cor ou rosto.
É acordar a rir ...

xistosa - (josé torres) disse...

Ângela Ladeiro

Limitei-me a ser copista.
Um plagiário.

Vamos aprendendo ... quem me havia de dizer ou sussurrar que ia visitar uma pequena maravilha de "designers"?
Um inapto e néscio na arte ...
É verdae!
Aprendemos até morrer.

xistosa - (josé torres) disse...

Mundo Azul

Sou mais ambicioso.
Ser feliz e ter dinheiro.
Ou só ter dinheiro já é ser feliz?
Talvez se compre a felicidade ...

xistosa - (josé torres) disse...

Joice Worm

Será?

Penso que um beijo apaixonado ultrapassa todos os ditames e passa para além da felicidade.

Vieira Calado disse...

Meu caro: pois há engano.
O Torres para quem eu queria mandar as fotos, é um passarão que andou comigo no Liceu.
Um abraço

xistosa - (josé torres) disse...

Pelos vistos todos os Torres, são passarões ...

Multiolhares disse...

Todos procuramos a felicidade, mas continuo a pensar que a encontramos em todos os pequenos pormenores

xistosa - (josé torres) disse...

Multiolhares

É nas pequenas coisas que encontramos o essecial.
A felicidade é uma delas.