domingo, 13 de julho de 2008

- Não podendo regularizar os outros, regularizo-me a mim mesmo ! (Michel Eyquem de Montaigne, (1533-1592), escritor e ensaista francês, considerado por muitos como o inventor do ensaio pessoal).

12 comentários:

Osvaldo disse...

Caro amigo José Torres;
Essa frase é um pouco o símbolo do comodismo... Será ?
É um pouco como a que diz "Se não posso com eles,... junto-me a eles".
"Não podendo regularizar os outros, regularizo-me a mim mesmo", tem um significado profundo com "milhentas" interpretações.
Um abraço.

xistosa - (josé torres) disse...

Osvaldo

A Filosofia e Psicologia, para além de Química e História, foram sempre ossos duros de roer.
Por isso é que o nosso ensino está, como todos nos apercebemos.
Há matérias, ou havia no meu tempo, que não serviam para nada.
Uma engenharia civil, só como cultura geral, poderia querer saber de História, Zoologia, Filosofia e quejandos.
Mas as matérias eram iguais para todos ...
Talvez estejamos a pagar a factura de anos e anos sem uma política verdadeira, para o ensino.

Montaigne, escreveu isto no contexto, de não conseguindo que os outros aprendessem, aprendia ele.
Mas as interpretações são mesmo "milhentas".
Como diz e bem, é o acomodar a uma situação que não se pode reverter.
Um comodismo.

Paula Raposo disse...

Acho uma óptima ideia!!

xistosa - (josé torres) disse...

Paula raposo

Eu também aceito a ideia.
mas se for necessário, concordo com o contrário ...
Regularizo o mundo ...

JOICE WORM disse...

Ora nem mais... No fundo da questão, acho que o Montaigne quis dizer que, se cada um de nós nos regularizassemos, todos se aperfeiçoaríam. Quem somos nós para regularizar alguém? Cada um tem uma ideologia diferente ou iguais e por isso nos unimos a grupos ou separamo-nos. Por este motivo e de acordo com a sabedoria de cada um, a auto-regularização ajudaria a "ensina" ao outro uma nova forma de agir e viver.
Este "regularizar" tem um sentido mais forte e profundo do que a própria palavra. É o que eu penso, Torres...
Um forte abraço para ti, amigo.

São disse...

E alguma vez a regularização é definitiva?
Beijinho.

xistosa - (josé torres) disse...

Joice Worm

É a perfeição da definição do Montaigne.

Eu que conduzo tudo para o lado do humor, muitas vezes não escrevo o que é ... mas o que quero dar a entender ... (que afinal não sou).

Mas neste mundo, a teoria do Montaigne está ou estava condenada ao fracasso.

Todos os que se querem sobrepor, colocam-se em bicos dos pés ou sobem a todo o custo e por qualquer preço ...

xistosa - (josé torres) disse...

são

Não pode ser definitiva, se é que existe.
Também nada é perene e a (auto)regularização é uma falácia que nem mesmo há 500 anos prevalecia.

Ana Maria disse...

Verdade, Xistosa.
Gostei da ideia.
Amigo, desculpa por estar nesses dias ausentes nas visitas.
Adoro abrir os blogs e encontrar seu fiel comentario. Vc sempre me ensinando, fico muito feliz , e quero agradecer pelo apoio que sempre me proporcionou.
Muito obrigada!
Meus beijinhos.

mundo azul disse...

...se todos pensassem assim, o mundo já estaria bem regularizado!

Beijos de luz e o meu carinho...

xistosa - (josé torres) disse...

Ana Maria

Visito o que posso e quando posso.
O trabalho é pouco e como ninguém quer pagar ... entretenho-me neste vício.
É mesmo um vício.

O que importa é que a mana melhore.
A vida acima de tudo.
Como já lhe disse não sou religioso.
Como sei que no Brasil são muito apegados à religião ... (ISTO NÃO É CENSURA), não tenho nada com a vida de cada um, como não quero que me digam nada a mim.

Acredito naquilo que vejo e ao natural ... porque agora até fotos e outras coisas podem ser manipuladas.

As rápidas melhoras da mana, é o meu maior desejo.

xistosa - (josé torres) disse...

Mundo Azul

Também não podemos ser todos iguais e nunca haverá regularização ... talvez até seja melhor assim.