quarta-feira, 18 de junho de 2008

GREVES e DESACATOS …


Polícia com o dicionário ...






Mal ou bem, todas as greves acabam por solucionar-se.

Só pergunto é por que isso não sucede antes da sua declaração e assim evitar-se-iam muitos danos, muitos prejuízos, algum morto e uma certa quantidade de desmandos.

Quando alguém vai mal nos negócios é quando mais se adverte para a necessidade de bons negociadores capazes de chegar a acordos sensatos, que como todo o mundo sabe, são os que deixam descontentes ambas as partes, mas em partes iguais.

Todavia não se logrou essa divina proporção.

Os organizadores da barulheira no Guia Michelin, nem aceitaram, nem rejeitaram as propostas dos altos dignatários e há outros a estimularem a atravessar os seus camiões em todas as estradas, que bem vistas as coisas, até contribuiria para diminuir o número de acidentes por excesso de velocidade.

Por outro lado, o governo anuncia que a partir de agora se dispõe a passar da "eficácia zero" à "tolerância zero".

Supõe uma mudança muito brusca, viver com dificuldades mínimas e com as máximas dívidas, ao enfrentar-se com a realidade.

Estávamos atarefados a discutir imbecilidades, como algumas do acordo ortográfico, quando demos conta de que não podemos fazer cada um o que lhe dá na real gana.

Talvez não esteja longe o dia em que choraremos os tempos recentes que acreditámos serem maus.

Outros estão a chegar que os farão bons.

Pode ser que nos ocorra, noutra escala, supostamente, que os presos de Guantánamo, já podem recorrer da sua detenção.

Não é que se lhes abra a porta do cárcere, mas ao menos vão mudar-lhes as marcas dos ferrolhos.

O que deveria investigar agora a nossa secreta é se os convocantes das greves instigaram à violência ou melhor, se propuseram aos camionistas um bom comportamento.



2 comentários:

daniel disse...

José Torres

Se há que goste de greves!... Os negociadores, não devem ser grandes "espingardas" e decretam greves, õs que as fazem que arquem com as despezas, não custa nada!
A greve é um direito e nem sempre procurar cumprir bem é um dever!...
Daniel

xistosa - (josé torres) disse...

daniel

É parecido com um negócio de feira, onde se discute o preço ao cêntimo.
No final, ambos ficam contentes.
Na greve, no final há sempre descontentes. Mas o governo interviu e aumentou o contentamento ... enquanto houve futebol
Veremos daqui para a frente ...