domingo, 11 de maio de 2008

- A amizade de duas mulheres é sempre a conspiração contra uma terceira ! (Jean-Baptiste Alphonse Karr, 1808-1890, foi um crítico, jornalista e novelista francês).

10 comentários:

a casa da mariquinhas disse...

Não posso concordar com esta frase! Vê-se bem que foi escrita por um homem... :))) e em tempos idos!
Não digo que não acontece, uma vez por outra, mas felizmente é muito raro. Digo eu...
Este blog é óptimo. Gostei mesmo! Passei aqui por acaso, parei, e ainda bem.
Voltarei com mais tempo. Tem muita coisa boa para ver.
Bjs
Mariazita

Angela Ladeiro disse...

Caro Xistosa: tem toda a razão. Nem sei se esses separadores poderão ter alguma utilidade.É uma fantasia bem sei, mas a vida também é feita disso, não lhe parece? Sou a favor...O dia está a acabar, mas a praia de Sesimbra estava linda! O sol apareceu.

Angela Ladeiro disse...

...Esqueci-me de comentar sobre a frase e estou de acordo com a Mariazita. Eu, pelo menos não conspiro... sou directa.

Angela Ladeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Multiolhares disse...

nem sempre, acontece algumas vezes, mas quando as pessoas são sinceras dizem directamente o que pensam

beijinhos

xistosa disse...

a casa da mariquinhas
Mariazita

Antes de 1900 talvez a vida na Terra fosse diferente.
Depois extinguiram-se os dinossauros e a amizade terá sido modificada com a "chegada" do amor bissexual.
Essa terceira, ficará assim com o homem que deseja.
É curta a história de amor ... mas pode ser verdadeira.

xistosa disse...

angela ladeiro

A esta hora já não a invejo ... Sesimbra.
Já se tinha varrido do meu pensamento.
Estou reformado e a m/mulher também, mas continua com um colégio ...
Só posso gozar férias no inferno, quero dizer, no Veráo e Sesimbra é um mito, nessa data.
Só quem aí vive.
Mas desforro-me com água a um mínimo de 25º e areia e mar à "fartazana".
Só tem um pequeno pormenor.
Necessito de fazer 1100 quilómetros.
Mas a autoestrada já me conhece há quase 20 anos!

Gostei dos separadores ...
Há uns largos anos comprei a Serigrafia, (o dinheiro não dava para mais), do Cargaleiro ... foi-se o nome ... talvez apareça, nao é "Deauville", Structus, será, bem não me recordo.
Depois de a comprar comecei a admirá-la, porque foram oferecidas para venda ao maior coleccionador particular do Cargaleiro e de mais dois ou três pintores portugueses, até me esqueci do nome do incdivíduo, que trato por tu e fiz-lhe o projecto para dois andares tipo 6, isto é com 6 quartos cada, que ele transformou em galeria de arte privada.
Hoje não dá para nomes ...
Arrependi-me ao olhar para a "pintura".
Não via arte ...
Já visitei os museus de Miró, Picasso e Salvador Dali e o do prado, onde nenhum deles está representado, como é lógico.
Sou um zero em pintura e escultura.
Podia ter muito dinheiro que não investia um tostão na maioria das obras.

Talvez os separadores me tenham dado uma ideia.

Sobre a frase, o que posso contrariar?
A intemporalidade era diferente e naquele tempo, o homem era o "dono" da mulher e esta só poderia alimentar guerrilhas entre elas ...

xistosa disse...

multiolhares

O que já disse, traduz o mundo pequeno da mulher, naquele tempo, que para se "distrairem2, além de "traírem" sempre que possível os maridos, entretinham-se nestes jogos de alianças para o mesmo fim.

Toze disse...

Só o Jean-Baptiste é que me entende !

xistosa disse...

toze

Nem sempre a verdade é verdadeira e a mentira uma farsa ...
Não sei se alinho com o Jean-Baptiste, nem todos são sábio naquilo que dizem.
Nem mesmo os sábios estão a salvo ... veja-se o Einstein. parecia intocável e até um cientista português já se interroga se algumas asserções são verdadeiras ...
Ao que o mundo chegou.