sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

PROMESSAS TODOS AS FAZEM !!!









Gosto de ler e reler o quotidiano espanhol, tanto mais que salvo qualquer imponderável, mais dia, menos dia, vendo a barraca onde me abrigo e parto para o lado de lá da fronteira.

Palavra do "xistosa"!

Ninguém tenha dúvidas.

Penso que essa hora já esteve mais distante e é por isso que todos os dias dou corda aos relógios, para que não parem e avancem.

Que ninguém fale de dúvidas, soam a ser, nem agradecidas nem satisfeitas, já que mudam de bolso, quando não de nacionalidade e vão-se, para viver na ampla comarca do ouvido.

O prometido é duvidoso.

Quem pode acreditar nesta altura do campeonato e á profundidade dos partidos políticos, que os seus lideres podem cumprir com tudo o que estão a oferecer?

Agora que os "moinhos de vento", já estão a gerar, em Espanha, 10 % da energia eléctrica, os espanhóis dar-se iam por satisfeitos, (aliás como sucede por cá), se fossem cumpridas 10 % das promessas eleitorais.

Inclusivamente ficariam com uma dor de dentes, já que não podem cantar a letra do hino nacional, cuja ausência de letra, fá-los encontrar em falta a ausência de dentaduras.

O presidente Zapatero, prometeu que subirá para 850 euros, as pensões mínimas, (LERAM BEM, são mesmo, oitocentos e cinquenta euros) e para 700 as de viuvez.

O do PP, Rajoy, diz que eliminará a Educação para a Cidadania, considerando, sem dúvida que os espanhóis já estão suficientemente educados.

Não satisfeito com tal promessa, quer garantir por lei, o ensino do castelhano.

Decidido a superar-se a si mesmo, Rajoy, fará com que todos os putos, uma vez aprendido o idioma de Cervantes, aprendam também o de Shakespeare.

Dentro de pouco tempo serão bilingues, incluindo os ventríloquos.

A clientela mais crédula renova-se em cada ciclo eleitoral.

Pessoas que não acreditam nos saldos que começam no Reis, (dia de oferendas em Espanha e não no Natal) nos grandes armazéns comerciais que trazem todos os camelos que os donos da politica urdem.

Por que não há-de haver eleições em cada seis meses?

Ainda que só cumpram uma infinitésima parte do que ofereceram, a vida dos espanhóis melhoraria muito, (por cá, parece-me que se passa algo muito parecido).

Até agora, lá, como cá, só melhora a de quem se especializou em promessas.

Quem os vai recordar do que disseram que iam fazer?

É necessária uma grande memória para nos esquecermos de tudo e é impossível a nostalgia do bem que todos íamos passar se tivessem ganho uns ou outros dos mercadores da felicidade.


3 comentários:

lfm disse...

Já não é a primeira vez que ouço dizer que o hino Espanhol não tem letra.
Eu lembro-me de o ouvir, qualquer coisa que começava com "Um arriba España".
Pelos vistos querem é uma letra nova será ? menos franquista eventualmente.
Garantido por lei o ensino do castelhano ?
Mas não está em lei é a vontade que eles têm de garantir por qualquer forma que as pessoa deixem de falar galego (português ?), catalão, etc.
E nós faltará muito para termos o castelhano como língua obrigatória ?
Na zona do Alqueva parece que faz muita falta.

Luís Maia

Vieira Calado disse...

Olhe, eu, felizmente guardo uma boa memória. Mas não precisava ter.
Basta ver o que não está feito,
para perceber quais foram as promessas.
Um abraço.

AJO disse...

Todos ditam as promessas, ninguém as faz.